A sua ajuda é fundamental para nós e para todos os que diariamente contam connosco.

Entre e explicamos como pode ajudar.

Os nossos Apoios

A Comunidade Vida e Paz agradece a todas as Organizações que se identificam com a nossa cause oferecem o seu apoio incansável.

Saber mais sobre os Apoiantes
Alvo
Everis
I AM
Leo Burnett
Magnesio
Montepio
Junta de Freguesia de Alvalade
Câmara Municipal de Lisboa
BPI
Lactogal
Pingo Doce
Vieira de Almeida e Associados

E alguns testemunhos

A Comunidade Vida e Paz agradece a todas as Pessoas que testemunham a nossa Missão.

Ler todos os Testemunhos
  • Quando saímos para a rua e nos deparamos com tristeza, mágoa, isolamento e solidão, todo o nosso ser se transforma num outro ser. Voltamos de novo a ser solidários e os voluntários das equipas de rua da Comunidade Vida e Paz são homens e mulheres que desempenham o seu papel com uma convicção tremendamente humana. Obrigado por existirem.

    Joaquim Caetano
    Montepio - Gabinete de Responsabilidade Social
  • A organização e a dinâmica empregue pelos responsáveis e voluntários, são de fato excepcionais e de mérito louvável. Por isso a GRENKE decidiu também ir para o terreno e apoiar a Comunidade, com as ferramentas possíveis. Desde a doação de uma viatura que permitiu uma maior dinamização das “Voltas”, à criação de campanhas com reversão dos lucros a 100% para a Comunidade, ao envolvimento da equipa nas acções desenvolvidas.

    Marco Souto
    Grenke Renting
  • Ficou-me no ouvido a frase do Francisco, já no fim da visita à Quinta da Tomada: «vou rezar por vocês». São pessoas como o Francisco é que me levam a repensar a vida. Seria demasiado fácil conquistar esta Simplicidade através de uma qualquer transação bancária, e é por isso que não acontece.

    António Castro
    Benfeitor Comunidade
  • Esta semana, foi diferente. Não sei porquê, mas assim aconteceu.Várias pessoas que conheço, já há alguns anos estão a mudar. Decidiram mudar de vida. Não sei exactamente a que se deveu, mas isso também não é o importante, definitivamente não é o importante. Importante é que estão a mudar.

    Rodrigo D’Orey
    Voluntário Equipas de Rua
  • Tive o privilégio de conhecer o trabalho da Comunidade Vida e Paz através de uma Colaboradora que foi transmitindo a missão da Comunidade com paixão mas, sobretudo, com muito amor e alegria. Decidi que, de alguma forma, queria “dar-me um bocadinho” àquele projecto.

    Cristina Fernandes
    Amiga da Comunidade
  • Na Magnésio achamos o trabalho da Comunidade muito nobre e algo que deve ser apoiado. Assim, contribuímos com aquilo que fazemos melhor – através do Design ajudamos a Comunidade a comunicar nos seus diferentes meios. Se todos ajudarmos com aquilo que sabemos fazer, criamos uma sociedade mais equilibrada.

    Marta Ferreira e Tiago Mendes
    Magnesio Design Studio
  • Passei dias difíceis e amargos como qualquer adito. Foram anos perdidos no mundo da droga e do álcool que me fizeram um dia destroçar toda a minha vida.
    Farto de sofrer e dos desgostos que dei a quem me amava, um dia decidi que queria ser feliz. Foi então, que pedi ajuda à Comunidade Vida e Paz.

    António Seabra
    Ex-utente
  • A Comunidade Vida e Paz é para todos no AidHound um modelo como organização social, desempenhando um trabalho rigoroso para que as pessoas em situação de sem-abrigo não caiam na ‘invisibilidade’. Agradecemos a todos os voluntários, técnicos e direção.

    Pedro Pimentel
    AidHound
  • Eu tornei-me amiga da Comunidade Vida e Paz porque é uma instituição de carácter religioso que ajuda imensas pessoas em situação desvantagem social, e como hoje em dia todas as instituições do nosso país estão a ultrapassar uma situação financeira delicada, achei por bem contribuir para a Comunidade Vida e Paz, pois é uma instituição com um grande valor na ajuda ao próximo…

    Ana Lúcia Vaz
    Amiga da Comunidade
  • Tenho 50 anos e conheci esta casa com 49 anos de idade na pior fase da minha vida. Conheci uma excelente equipa técnica e vim a conhecer-me a mim próprio. Senti medo quando cá entrei, era desconfiado e não acreditava sequer na mudança.

    Rui Fernandes
    Utente
  • Numa época em que apenas ouvimos palavras como “austeridade”, “contenção”, “crise”…ser abordado pela empresa para a qual colaboramos, e ouvirmos de viva voz que só podemos contrariar esses “papões” com AÇÕES concretas de “esperança”, “fé”, “união”, “força”, “amor ao próximo” e sentir que essas ações vêm de dentro.

    Rosa Fernandes
    Fundação EDP
  • Com 17 anos, pertencia ao grupo de jovens da paróquia de São Bento de Massamá, e a nossa animadora tomou a iniciativa de nos levar à festa de Natal das Pessoas Sem Abrigo daquele ano.
    Mal sabia que iria ser uma experiência tão transformante.

    Sérgio Rodrigues
    Voluntário Voltas da Noite e Coordenador da Área do Apoio da Festa de Natal com as Pessoas Sem-Abrigo