Confesso que fiquei impressionado pela vossa disponibilidade altruísta em querer ajudar aqueles que são vulgarmente desprezados e considerados como estando à margem do resto da sociedade, ainda por mais quando muitas vezes a recompensa vem em forma de mau trato desacato e reclamações. Impressionou-me imenso a preocupação que demonstram com todas estas pessoas, não só por lhe querer proporcionar algum alimento mas acima de tudo por tentarem recuperar aqueles que ainda são recuperáveis.
Recordo-me com particular emoção a forma como tentou resgatar aquele rapaz na Gare do Oriente dum futuro bastante hediondo, bem como uma frase do Vítor que me ficará na cabeça para sempre: "Nós temos noção que que alguns não vão a lado nenhum mas o que é que vamos fazer!? Deixá-los morrer à fome?". Realmente vocês demonstram aquilo que há de melhor num ser humano e que cada vez mais está a desaparecer nas malhas da sociedade moderna.
Pessoalmente achei esta experiência de grande valor. Tinha noção de que o mundo não era perfeito mas não tinha ideia que havia tanta gente em tão más condições. Os locais por onde andámos e as pessoas que contactámos mostraram-nos bem que fora dos nosso ciclos diários de convivência há muitos que estão deveras desfavorecidos e como tal devemos diariamente mostrar apreço, gratidão e humildade por aquilo que temos.
Mais uma vez obrigado a todos pelo carinho e acompanhamento que nos deram durante esta experiência.