Imprensa

Para promover a ideia de “um Portugal mais justo”, o Presidente da República almoçou esta sexta-feira em casa de Paulo Fernandes e Filipa Cunha, em Telheiras. O anfitrião de Marcelo largou os pais divorciados “aos 7 ou 8 anos” e viveu quase três décadas ao relento nas ruas de Lisboa. A VISÃO contou a sua história em 2010, em vésperas do casamento, num artigo que agora republicamos.

O vício do álcool tolheu-lhe a memória. Faz um enorme esforço para se situar no tempo. Não se lembra de datas. Também não se recorda de nomes. Dos nomes dos que, como ele, vivem cada dia no limite da sobrevivência. Na rua. Esta é a história de um menino que se fez homem nas ruas e vielas de Lisboa. Vinte e sete anos vividos – repete-se – na rua. Em sítios por onde todos passam e desviam o olhar, talvez protegendo-se de uma dor que, afinal, também é deles.

Façamos um forward na narrativa. Paulo Fernandes, 39 anos, é um ex-sem-abrigo que conseguiu desatar o nó com que o destino o quis asfixiar. Agora, a três dias do seu casamento, olha para o futuro. Só para o futuro. Tem casa, trabalho e encontrou a felicidade ao lado de Filipa Cunha, 37 anos, empregada doméstica. De bigode aparado e fato completo vestido, orgulha-se do que conquistou. Mas não esquece os que ainda não saíram dos cartões feitos cama, nas frias pedras da calçada. Por isso, os votos matrimoniais vão ser concretizados perante os seus ex-companheiros e quem o ajudou, durante a festa de Natal da Comunidade Vida e Paz, na capital…

Foto: Luís Barra

In: http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2017-02-03-A-historia-do-ex-sem-abrigo-que-fugiu-de-casa-em-crianca-e-pagou-o-almoco-a-Marcelo